Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 19 de junho de 2011

Preso servidor público que pode ter facilitado fuga de presos no DF

Técnico-penitenciário teria recebido R$ 15 mil por duas serras. Polícia diz que servidor teria se aproximado dos presos para vender droga.

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira (17) a Operação Traíra, que culminou na prisão do técnico-penitenciário suspeito de facilitar a fuga de seis detentos do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Aroldo Abreu de Souza, de 28 anos, teria recebido R$ 15 mil para entregar duas serras aos detentos. A fuga ocorreu no fim de março deste ano, na Penitenciária do Distrito Federal II (PDF-II).

A polícia chegou à casa do técnico penitenciário, em Samambaia, por volta das 7h. Aroldo Abreu Souza estava de uniforme, pronto pra ir trabalhar. Durante a prisão também foram encontrados na casa do técnico-penitenciário R$ 1.700, em espécie. Ele foi preso e levado para a Delegacia de São Sebastião.

De acordo com o delegado, Yuri Fernandes, o técnico-penitenciário teria se aproximado dos bandidos ao vender crack e maconha para eles. “A inteligência da polícia constatou que o Aroldo estava traficando no seu local de trabalho. E já há fatos confirmados, após várias provas testemunhais, que ele é quem teria entregue duas serrinhas para os presos serrarem as grades e os cadeados”, explica Fernandes.

Segundo a polícia, Aroldo Abreu de Souza é concursado, foi nomeado há dois anos e não tinha passagem pela polícia. O delegado informou ainda que o técnico-penitenciário teria patrimônio incompatível com a renda. Ele recebia um salário bruto de R$ 4 mil.

“Eu sou inocente. Existem vários presos que não gostam de mim, até porque lá no presídio a gente ‘arrocha’. Isso que estão falando não tem fundamento nenhum. Nunca me envolvi com droga, podem até fazer o exame toxicológico. Sempre batalhei para conseguir as minhas coisas, fiz consórcios e financiamentos”, enfatizou Aroldo Abreu de Souza.

Aroldo Abreu Souza vai responder por corrupção passiva e facilitação de fuga e pode pegar de um a quatro anos de prisão, além de ser demitido do serviço público. Ele vai ser levado nesta sexta-feira (17) para o Centro de Detenção Provisória da Papuda.


Fuga

 Na madrugada de 27 de março, seis bandidos fugiram da ala "D" do bloco "F" da Papuda, considerada de segurança máxima. Juntos eles somam 287 anos de cadeia a cumprir.

Eles ultrapassaram vários obstáculos sem serem vistos ou ouvidos. Serraram as grades das celas de aço, escalaram o muro do pátio de seis metros de altura com uma corda feita de lençóis. Depois, os fugitivos passaram por uma cerca de três metros e por outras duas, com seis metros de altura cada.

Até o momento, apenas três presos foram recapturados: Everton da Mota Leda, Wendel Corradi das Graças e Fabiano Alfredo Alves. Outros três continuam foragidos: Leandro Moreira da Rocha, Rodrigo Oliveira dos Santos e Marcos Paulo de Souza.
 
 
 
Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário